Ih, Ah Lá!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ih, ah lá! – Cotidiano de um homem solitário com seu bebê em uma casa minúscula. Inspirada no filme “The Kid” de Charles Chaplin, a peça se utiliza da comédia física como linguagem e faz do grotesco sua estética. (50 min). Texto: Kire Zul e Rafael Ferreira. Direção: Rafael Ferreira. Elenco: Kire Zul. Quando: Ter, 15/11 às 17h. Onde: Espaço dos Parlapatões. 14 anos.

Fotos: Luciana Camargo

Entrevista com Phedra

Este slideshow necessita de JavaScript.

Entrevista com Phedra – O encontro entre uma diva e um jornalista em um apartamento do centro de São Paulo. Espetáculo baseado em entrevistas que a atriz Phedra D. Córdoba, homenageada nas Satyrianas 2016, concedeu ao jornalista Miguel Arcanjo Prado. (50 min). Com a assistência de direção de Lauanda Varone e Iluminação de Flávio Marciano Silva. Texto: Miguel Arcanjo Prado. Direção: Juan Manuel Tellategui. Elenco: Livia La Gatto e Raphael Garcia. Quando: Ter, 15/11 às 19h. Onde: Satyros Um. 12 anos.

Fotos: Luciana Camargo

Para assistir o vídeo produzido pela equipe do ShotsMix, com a entrevista com Miguel Arcanjo, clique aqui.

Cintxya Cintilantx

Este slideshow necessita de JavaScript.

Cintxya Cintilantxy – A performance Cintxya Cintilantxy traz o questionamento de gênero através da arte drag. Trazendo referências da cultura pop, o coletivo de mesmo nome interage com a platéia enquanto apresenta um show drag desconstruído. Performers: Jordana BAH, Poppins, Triz, Tia Pê, Monihead, Boobs e Inêzz Bloom.

Produção: Coletivo Cintxya Cintilantxy

Fotos: Fábio da Silva

Desfile Daspu

Este slideshow necessita de JavaScript.

Desfile Daspu – A marca acabou se tornando um dispositivo cultural que dialoga com as questões relacionadas ao corpo no embate com a sexualidade, gênero, a cidade e a prostituição. Os desfiles são provocações que se apropriam da irreverência e do humor do movimento de prostitutas como uma forma de lutar contra o estigma e o preconceito social. A coleção foi desenvolvida em parceria com o estilista Ale Marques e Marcita Guarani Kaiowá da marca de lingeries À dor amores. As peças trazem elementos e referências das “zonas de promiscuidade”, em que os gêneros são muitos e nas zonas de promiscuidade eles se reinventam na medida em que traçam novas linhas de passagem à deriva de um lugar “sabido” para o prazer e o sexo, segundo a coordenadora da marca Elaine Bortolanza. A coleção de camisetas, lançadas em junho de 2015 na Virada Cultural de São Paulo, trazem desenhos de Laerte, inspirados nos corpos sem gênero definido que se reinventam na relação com a cidade. A nova camiseta lançada agora em setembro no AWID Fórum Internacional também estará na passarela. A estampa traz a frase “A profissão é a prostituição mais antiga do mundo”. Trilha ao vivo com a banda As Bahias e a Cozinha Mineira.

Daspu volta este ano a desfilar na Praça Roosevelt em parceria com o teatro Satyros dentro da programação da Satyrianas que homenageia nesta edição a atriz Phedra de Córdoba. Uma passarela será ativada com prostitutas, travestis, transexuais e atores com objetivo de dar visibilidade para a luta política das prostitutas que ainda é extremamente silenciada e invisível. As atrizes trans Leona Johvs e Glamour Garcia, a cantora rap Danna Lisboa, além das putas ativistas Amara Moira e Betania Santos ocuparão a passarela com atores do Satyros e trans e travestis do Projeto Florescer. Haverá também no desfile uma performance em homenagem a madrinha das prostitutas Elke Maravilha, que desde a criação da marca se juntou  nesta batalha pelos direitos das prostitutas. A trilha do desfile será ao vivo com a banda As Bahias e a Cozinha Mineira. A passarela instalação “Tecidos vivos peles em transa” foi criada pelas artistas Daniela Pinheiro, Patricia Camelatto e Mariana Farcetta do coletivo de arte Kinguio CasaArtStudio.

 A coleção criada em parceria com os estilistas Ale Marques colaborador de resíduo têxtil para o estúdio sem nome da marca Fernanda Yamamoto e Marcita estilista da À dor amores e Tropicalwear trazem elementos e referências das “zonas de promiscuidade”, em que os gêneros sao muitos e nas zonas de promiscuidade eles se reinventam na medida em que traçam novas linhas de passagem à deriva de um lugar “sabido” para o prazer e o sexo. Esta coleção traz ainda estampas da marca com Laerte lançada em junho de 2015 na Virada Cultural de São Paulo. A nova coleção de camisetas com a frase “A profissão é a prostituição mais antiga do mundo” também estará na passarela.

 Ficha Técnica:

Coordenação e produção: Elaine Bortolanza

Estilistas: Ale Marques e Marcita Amores

Colaboradores da nova coleção: Resíduos e tecidos do Estúdio sem nome da marca Fernanda Yamamoto e Carol Ricca artista visual.

Trilha do desfile: As Bahias e a Cozinha Mineira

Luz: Beto Magnani

Passarela instalação: Daniela Pinheiro, Patricia Camelatto e Mariana Farcetta do coletivo de arte Kinguio CasaArtStudio

Maquiagem: Robson Oliveira e produtos MAC Cosmetics

Cabelo: Jhonny Braz

Foto: Daniela Pinheiro

Vídeo: Dário José

Assessoria de imprensa: Carola Gonzalez

Fotos: Fábio da Silva